Escolha uma Página

Músico fez sua segunda passagem pela casa de shows no início de fevereiro de 2014.

por Renan Pereyra

No primeiro dia de fevereiro deste ano, Jair Naves e sua banda subiram ao palco do Asteroid Entretenimento para fazer um daqueles shows que entraram para a história do bar. Tocando canções dos seus quatro anos de carreira solo, o músico presenteou o público com uma apresentação impecável e intimista, em mais uma edição da TopTop Club.

Na seção Asteroid On Stage, traremos sempre vídeos de bandas tocando ao vivo na casa, entrevistas, entre outras novidades. Na ocasião, gravamos duas canções de Jair Naves: “Pronto Para Morrer (O Poder de uma Mentira Dita Mil Vezes)” e “Poucas Palavras Bastam”, ambas do disco mais recente do músico, E Você se Sente Numa Cela Escura, Planejando sua Fuga, Cavando o Chão com as Próprias Unhas.

Jair Naves foi acompanhado na apresentação por Renato Ribeiro (guitarra), Rafael Findans (baixo), Felipe Faraco (teclado) e Jobas Monteiro (bateria). Não deixe de se inscrever no nosso canal no Youtube para aproveitar todo o conteúdo e o vídeo da música Poucas palavras bastam ao vivo no Asteroid.

O show

Era por volta de uma da manhã quando a banda subiu ao palco. “Pronto Para Morrer (O Poder de uma Mentira Dita Mil Vezes)”, “Poucas Palavras Bastam” e “Carmem, Todos Falam por Você” – músicas do disco mais recente do ex-Ludovic – foram as responsáveis por colocar o público sob euforia e o preparar para a sequência poética que viria a seguir: “Araguari I (Meus Amores Inconfessos)”, “Covil de Cobras”, “Maria Lúcia, Santa Cecília e Eu” e a já corriqueira versão de “Soluços” – música de autoria do compositor carioca Jards Macalé.

Carismático, Jair Naves não poupou elogios a Sorocaba e aproveitou um momento de intimidade com o público para falar sobre a cena local. “Vocês não têm noção da sorte que têm por morar nessa cidade. Muitas bandas importantes surgiram aqui, como Biggs, Vyziadoq Moe, Wry, Volpina… Mas uma em especial, que me toca muito, e que talvez até não tenha o devido reconhecimento, é o Pugna. Essa banda teve uma das melhores duplas de guitarristas que eu tive a oportunidade de ver, mas que por força maior acabou sendo desfeita. E é por isso então que eu quero dedicar esse show de hoje a eles”, comentou.

Para finalizar a apresentação, a banda escolheu duas canções de peso: a belíssima “Um Passo por Vez” e a dark e pulsante “De Branquidão Hospitalar”, do EP Araguari (2010). Nesta última, Jair Naves deu um show à parte deixando seu violão de canto e partindo apenas para os vocais – o que tende sempre a tornar sua performance ainda mais visceral e emocionante.

Nos momentos finais da canção o cantor fez um sinal para que a banda desse uma pausa e então os últimos versos foram apenas proferidos sem o instrumental, de forma muito expressiva, levando os fãs ao delírio. Poucos músicos no Brasil têm a autenticidade e a capacidade de emocionar o público como Jair Naves. Uma espécie de poeta urbano, o compositor parece carregar consigo um sentimento de revolta e angústia – que acaba sendo um retrato da complexa vida caótica dos grandes centros. O cantor vive atualmente na capital paulista e afirma que o estilo de vida da cidade influencia muito sua obra.

Apesar desses sentimentos serem notáveis em seu trabalho – seja pelas letras recheadas de críticas e subjetividade ou mesmo pelas suas performances tão únicas –, o contexto geral apresentado por Jair Naves sempre nos passa uma sensação de libertação e reação, o que faz dele um dos caras mais importantes do rock and roll no país hoje.

Sobre Jair Naves

Já consagrado como um dos principais artistas da história do underground, Jair Naves iniciou sua carreira solo em 2010 – dois anos depois do Ludovic (ex-banda do cantor) encerrar oficialmente suas atividades. A estreia aconteceu com o lançamento do EP Araguari, trabalho que surpreendeu o público pela maturidade e evolução do músico como letrista e compositor.

No ano seguinte, o ex-Ludovic lançou ainda pequeno documentário sobre o EP (Araguari, O Que Foi Que Aconteceu?) e ainda um compacto contendo as músicas “Um passo por vez” e “Minha cúmplice, minha irmã, minha amante”. Em 2012, o compositor anunciou seu primeiro disco cheio. E Você se Sente Numa Cela Escura, Planejando sua Fuga, Cavando o Chão com as Próprias Unhas conta com dez músicas que versam de forma subjetiva sobre liberdade, angústia e reação. O álbum se tornou rapidamente sucesso entre a crítica especializada e foi eleito como um dos melhores discos do ano por dezenas de veículos do país.

Pin It on Pinterest