Escolha uma Página

Vozes Femininas: 12 bandas novas que você precisa ouvir agora mesmo!

Punk, grunge e música psicodélica são alguns dos gêneros destacados.

Por Renan Pereyra

O futuro é feminino, ninguém mais duvida. Reunimos nesse post 12 novas bandas do mundo underground que vocês precisam conhecer agora mesmo. Todas com algo em comum: ou são formadas somente por mulheres ou contam com vocais femininos. Da canadense Dilly Dally à capixaba My Magical Glowing Lens, passando por bandas que já pisaram no nosso palco, como Inky e Pure. Confira a nossa seleção!

* Saiu a parte II! Clique aqui e confira mais 12 ótimo bandas femininas de garage rock

Dilly Dally

DV/DillyDally

———————————————————————————————————————————–

Dilly Dally

Imagine uma banda que mescla o instrumental do Pixies com os vocais potentes de PJ Harvey. É mais ou menos isso o que rola com a Dilly Dally, banda de rock alternativo do Canadá que tem claramente os anos 90 como principal referência. Katie Monks (voz/guitarra), Liz Ball (guitarra), Jimmy Tony (baixo) e Bass Benjamin (bateria) formam o quarteto, que se autointitula uma banda de softgrunge.

Facebook
Site Oficial

The Beverleys

The Beverleys. Outra banda do Canadá que aposta na sujeira e na simplicidade do punk e do grunge, tanto no visual quanto na sonoridade. O grupo é formado por três minas e o destaque fica por conta da voz rouca de Susie Burke, que por vezes nos remete ao timbre da Courtney Love.

Facebook
Bandcamp

The Coathangers

The Coathangers (foto principal) é uma das minhas bandas favoritas desse movimento que resgata o espírito punk. Meredith Franco (voz/baixo), Julia Kugel (voz/guitarra) e Stephanie Luke (voz/bateria) são de Atlanta (USA) e um dos grupos mais antigos citados nesse post. Recheado de temáticas feministas, Suck My Shirt é o trampo mais recente das gurias.

Facebook
Site Oficial

My Magical Glowing Lens

Os vocais suaves e psicodélicos de Gabriela Deptulski (voz/guitarra) são a tônica do My Magical Glowing Lens, banda capixaba formada ainda por Gil Mello (baixo) e Rafael Borges (bateria). Ótima pedida para os amantes shoegaze, 90’s, lisérgicos e guitarras barulhentas.

Facebook
Tumblr

Deap Vally

Seguindo o caminho de bandas como The White Stripes e The Kills, a dupla Deap Vally funde o blues com o rock alternativo de forma bem conceitual. O duo (Lindsey Troy e Julie Edwards) surgiu em 2011, em Los Angeles. Abaixo você confere as faixas “Royal Jelly” e “End Of The World”.

Facebook
Site Oficial

Pure

Com passagem recente pelo Asteroid (saca só as fotos aqui!), Pure é uma banda de São Paulo formada por Bela Fern (voz), Icaro Scagliusi (guitarra), Fernando Freire (baixo), Ricardo Shalom (bateria) e Mauro Chevis (teclado). O grupo funde influências obscuras de pós-punk com algo de rock clássico e indie. Traduzindo: rock and roll sem frescuras!

Facebook
Site Oficial

Mommy Long Legs

Mommy Long Legs é um grupo punk feminista de Seattle. As músicas são raivosas, quebradiças e despretensiosas: um nítido foda-se à estética mainstream. O grupo forma, ao lado de diversas outras bandas femininas da cidade portuária (como Mumbutt, Tacocat e Childbirth), uma espécie de resistência aos movimentos que se sobrepuseram à cultura grunge por lá. Confira a matéria da Noisey com mais detalhes!

Facebook
Bandcamp

Potty Mouth

O pop açucarado abaixo é executado pelo trio Abby (voz/guitarra), Ally (baixo) e Victoria (bateria), que atende por Potty Mouth. Algumas faixas da banda inglesa nos fazem lembrar facilmente de Shirley Manson e dos Garbage. Saca só!

Facebook
Site Oficial

Valentiine

Claro que não podia faltar aqui uma banda da Austrália, um dos países mais criativos quando o assunto é rock and roll. A Valentiine é formada por Vanessa V (voz/guitarra), Erica E (voz/baixo) e Shelly K (voz/bateria). O trio faz um som grunge e barulhento que remete às grandes bandas femininas do gênero. Nirvana, Hole, Breeders, Veruca Salt, PJ Harvey, The Amps e Liz Phair são as principais influências.

Facebook
Site Oficial

Inky

Outra banda brasileira que conta com ótimas passagens pelo nosso palco. A Inky faz um rock experimental com pitadas de música eletrônica e tem como destaque as performances ao vivo, além do belo timbre da vocalista Luiza Pereira. O registro mais recente do grupo é Primal Swag, que você ouve logo abaixo.

*Atualização: a Inky lançou em 2016 um novo disco intitulado Animania. Ouça aqui.

Facebook
Soundcloud

La Luz

Mais uma da safra de boas novas bandas de Seattle, La Luz foi formada em 2012 e tem como uma de suas principais características a produção de belos clipes, como você pode ver abaixo.

Facebook
Tumblr

Waxahatchee

Finalizamos com a Waxahatchee, banda que lançou um dos melhores discos de 2015 de acordo com a nossa equipe. Para quem não sabe, Waxahatchee é o nome do projeto solo de Katie Crutchfield. Ouça!

Facebook
Site Oficial

Em tempo: poste nos comentários outras bandas legais com vocais femininos e, se curtiu nosso post, não deixe de compartilhar o conteúdo com a sua galera! 🙂

3 Comentários

Diga algo! Adoramos saber a sua opinião.

Pin It on Pinterest